Psicologia Educacional

Proporcionamos uma intervenção especializada e integrada. Sempre que necessário desenvolvemos um trabalho integrado em equipa multidisciplinar ou em articulação com outros profissionais e interlocutores.



Avaliação e Intervenção em Psicologia da Educação e Desenvolvimento

  • Dislexia e outras dificuldades específicas de aprendizagem (Disortografia, Disgrafia, Discalculia) 
  • Défice de Atenção / Hiperatividade 
  • Perturbações do Desenvolvimento 
  • Prontidão Escolar para o 1º ciclo 
  • Sobredotação 
  • Problemas de desempenho escolar (Insucesso, desmotivação ou desinvestimento) 
  • Orientação Escolar e Profissional: Aconselhamento nas transições de ciclo 



Avaliação Psicológica


A avaliação psicológica é um serviço especializado para responder a solicitações específicas ou para estabelecer os objectivos de uma intervenção terapêutica. 
Procura-se uma exaustiva compreensão e descrição do criança/adolescente e das suas dificuldades para que se possa proceder à elaboração de diagnósticos descritivos e compreensivos, assim como o planeamento da intervenção psicológica, ou do encaminhamento para uma intervenção que melhor se enquadre nas necessidades apuradas. 
Como estratégias de avaliação são utilizadas as técnicas e métodos de entrevista clínica, observação directa, questionários de auto-resposta e escalas de desenvolvimento intelectual e sócio emocional. Geralmente é realizada em três ou mais sessões (dependendo do objetivo), após as quais é elaborado um relatório descritivo e compreensivo de todo o processo que é entregue, explicado e discutido presencialmente.



Como decorre o processo de Avaliação com crianças e adolescentes?

A avaliação e intervenção psicológica com crianças e adolescentes tem algumas características específicas, uma vez que o pedido inicial é formulado, na maior parte das situações, por intermédio dos pais ou outros familiares, educadores ou professores.

O processo de avaliação decorre segundo as etapas seguintes:

1a Sessão - com os pais (ambos de preferência, ou consentimento de ambos quando não for possível a presença no primeiro momento)
  • Estabelecimento de relação terapêutica com a criança/adolescente e pais 
  • Caracterização do pedido inicial 
  • Recolha de informações 
  • Entrega de inventários de avaliação (para contexto familiar e escolar) 
  • Estruturação e agendamento do processo de avaliação e/ou intervenção 

2a  Sessão - com a criança/jovem (pode acontecer em mais que um momento)
  • Estabelecimento de relação terapêutica 
  • Procedimentos de avaliação 
    • entrevista 
    • aplicação de provas de avaliação cognitiva / emocional / psicopedagógica 

3a Sessão - com os pais (ambos de preferência ou em separado se assim for solicitado)
  • Estabelecimento de relação terapêutica 
  • Caracterização do desenvolvimento e contexto familiar 
  • Procedimentos de avaliação (caso necessário) 

5a Sessão - com o educador / professor / director de turma (No caso de não ser possível uma articulação presencial, esta será sempre realizada de acordo com o meio alternativo preferencial do responsável (email, skype, telefone)
  • Caracterização do processo educativo e contexto escolar 

6a Sessão - com os pais e criança/adolescente
  • Devolução dos resultados da avaliação e planificação da intervenção, definindo como foco o aconselhamento psicoeducativo para os contextos familiar e escolar 

Enviar um comentário